Posts com Tag ‘olímpiadas’

Olimpiadas

Publicado: terça-feira, 2, setembro, 2008 por RMAX em Cotidiano, Criativos, Esportes, Mundo, Novidades, Piadas, Risos
Tags:, , ,

Como nada se cria tudo se copia, fizeram uma homenagem aos nossos atletas brasileiros, com referência a camiseta do nadador Phelhs.

Medalha de Ouro para o Brasil

Publicado: sexta-feira, 22, agosto, 2008 por RAFAJAKE em Cotidiano, Noticias
Tags:, ,

 Quando a sapatilha pegou impulso no chão pela última vez antes do vôo de 7,04m, logo no salto inicial, a primeira medalha de ouro para uma mulher brasileira em esportes individuais estava desenhada. Maurren ainda precisou esperar um bom tempo até que a competição acabasse. A russa pisou um pouco antes e, no fim, chegou um centímetro atrás. Azar o dela. Maurren Maggi, definitivamente, sabe onde pisa.

Fonte: Globo

Sucesso de Michael Phelps vira camiseta

Publicado: quinta-feira, 21, agosto, 2008 por RAFAJAKE em Cotidiano, Criativos, Lazer, Noticias
Tags:, , ,

O sucesso de Michael Phelps nas Olimpíadas desse ano foi tanto que foram feitas camisetas estilizadas. Uma piada com  “spitz”, uma gíria em inglês, que designa a célula reprodutiva masculino, além de Mark Spitz, antigo detentor do recorde de medalhas de ouro em uma mesma Olimpíada.

Fonte: Globo

Mais uma medalha para o Brasil

Publicado: segunda-feira, 18, agosto, 2008 por RAFAJAKE em Cotidiano, Noticias
Tags:, ,

 

Fernanda Oliveira e Isabel Swan brilham e conquistam inédita medalha para vela

O mergulho nas águas de Qingdao, o barco virado e a emoção no pódio, caracterizada por sorrisos, lágrimas e bandeira do Brasil nas mãos, simbolizaram muito bem a importância do feito de Fernanda Oliveira e Isabel Swan nas Olimpíadas de Pequim. Com ascensão meteórica nas últimas regatas da classe 470, a dupla venceu a última prova, assegurou a terceira colocação geral e recebeu com muito orgulho o bronze.

A medalha, que em alguns casos é considerada apenas razoável, atribuída a fracassos e até mesmo desprezada, como foi o caso do sueco Ara Abrahamian na luta greco-romana, tem cara de ouro para as brasileiras. Principalmente por ter um caráter inédito, afinal é a primeira vez que uma categoria feminina da vela dá uma conquista dessas ao esporte nacional – os homens têm 14 na história. Esse bronze é comemorado como ouro também porque elas chegaram às Olimpíadas de Pequim longe da lista de favoritas.

Fonte: Globo

César Cielo é Ouro nas Olimpíadas

Publicado: sábado, 16, agosto, 2008 por RAFAJAKE em Cotidiano, Noticias
Tags:, , ,

César Cielo Filho, touca cinza e óculos nas mãos, esperava na sala de aquecimento quando aquele sujeito de tronco desproporcional veio caminhando na sua direção de agasalho e medalha no peito.

– Tá vendo isso aqui? – disse Michael Phelps – Foi por um centésimo.

“Isso aqui”, no caso, era a medalha de ouro, a sétima de Phelps em Pequim, 13ª da carreira olímpica do fenômeno americano. Exatamente 13 medalhas de ouro a mais do que o Brasil tinha em 68 anos de natação nos Jogos.

César Cielo chegou à raia quatro com o peso de um país nas costas. O maiô grudadíssimo no corpo, o nervosismo diluído em tapas. O muito doido Césão ganharia ou perderia em frações. Os outros nadadores, todos, tocaram na água da piscina. Ele não. Estava absolutamente concentrado.

– Você pode ganhar por um centésimo. Ou perder por um centésimo – disse Michael Phelps.

O Brasil é capaz de comemorar décimos lugares, de beijar com ênfase medalhas de bronze. E não é por acaso. Entre o Oiapoque e o Chuí, ouro é minério olímpico escasso. Até ontem eram apenas 17 as medalhas douradas em verde-e-amarelo – desde a primeira, conquistada por Guilherme Paraense no tiro, em 1932. A número 18 estava por vir. Rápido. Muito rápido.

Foram 34 braçadas. Nenhuma respiração. Nos primeiros metros, Cielo pareceu estar atrás dos franceses Alain Bernard e Amaury Leveaux. No meio da prova, na eternidade daqueles dez segundos iniciais, era impossível dizer quem liderava. Seria Eamon Sullivan, o recordista mundial australiano? Ou o sul-africano Roland Schoeman?

Aquele mar de potentes braçadas e pernas batendo… misturava espuma e angústia. Nas arquibancadas, CÉSÃO se angustiava. CÉSÃO era, na verdade, uma fila de cinco pessoas formando um acróstico humano e elétrico. O “C”, ou César Cielo pai abraçava o “E”, Flávia, mãe, que balbuciava.

– Vai, vai…

O S (Raísa, amiga da família), o à (Matheus, outro amigo) e o O, a irmã Fernanda… se comprimiam. Os últimos metros estavam ali da piscina, logo à frente do CÉSÃO humano. A uns doze metros do fim, Cielo botou um braço na frente. A câmera subaquática captou num ângulo fugaz os dentes dentro de sua imensa boca aberta. Foi como se mostrasse o apetite olímpico do país inteiro.

Cielo estava realmente na frente. A fração de liderança empurrou o berro de torcedores, locutores, tantas gargantas país afora. Faltavam dois metros, um. Veio a trigésima-quarta braçada. Cielo bateu. Uma fração curtíssima precedeu a confirmação eletrônica. O Brasil era campeão olímpico numa piscina. Pela primeira vez.

Parecia improvável. Cielo arregalou os olhos dentro dos óculos e olhou para o placar. Viu o número 1 ao lado de seu nome. Vinte e um segundos e trinta centésimos – novo recorde olímpico. Em segundo lugar chegou Leveaux, quinze centésimos atrás (21s45). Em terceiro, Bernard (21s49). O oitavo colocado, o sueco Stefan Nystrand, cravou 21s72, 42 centésimos atrás de Cielo, menos de meio segundo, um piscar de olhos.

O brasileiro berrou. Afundou. Emergiu num grito. Sentou numa das bóias que marcava a raia. Afundou de novo. Sentou na outra, ergueu os dois braços e flexionou os bíceps qual incrível Hulk ou Phelps. Submergiu mais uma vez. Voltou à superfície cuspindo água… e começou a chorar. Seriam as primeiras lágrimas do dia.

Devagar ele saiu da piscina, ainda meio incrédulo e muito mais leve. Andava devagar, meio grogue, como se não acreditasse. Ao lado da piscina, a primeira entrevista para o repórter da TV Globo, Marcos Uchoa.

– Foi a melhor prova da minha vida. O melhor dia da minha vida.

Fonte: Globo

Olimpíadas 2008

Publicado: quinta-feira, 7, agosto, 2008 por RAFAJAKE em Cotidiano, Noticias
Tags:, , ,

A China realiza na sexta-feira a mais cara cerimônia de abertura olímpica da história, em uma tentativa de chamar a atenção para sua modernidade, após meses de incidentes políticos envolvendo o governo comunista nos preparativos para os Jogos Olímpicos de Pequim.

Entre os espectadores da cerimônia no estádio olímpico apelidado de Ninho de Pássaro estará o presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, que chega a Pequim um dia depois de fazer o seu mais duro discurso contra a situação dos direitos humanos na China.

Muitos apostam que a China vá disputar com os EUA a hegemonia global neste século, a começar pelo quadro de medalhas nestes Jogos.

A China espera que a cobertura negativa da imprensa a respeito de questões como a repressão no Tibete acabe às oito horas da noite do 8o dia do oitavo mês — uma combinação associada à fortuna (no horário de Brasília, 9h de sexta-feira). A audiência global prevista para a festa é de 1 bilhão de pessoas.

Ostentando seu recém-adquirido poderio econômico, a China investiu 43 bilhões de dólares na Olimpíada. Foram 100 milhões só para as cerimônias de abertura e encerramento, o dobro do gasto em Atenas 2004.

Pequenos grupos de estrangeiros tentaram promover manifestações nesta semana em Pequim, mas foram rapidamente dispersados pela polícia — parte de um esquema de segurança com 100 mil soldados e agentes.

Na segunda-feira, um ataque atribuído a separatistas islâmicos matou 16 policiais no oeste da China, e na quinta-feira duas empresas dos EUA que monitoram declarações de militantes disseram que um grupo muçulmano pouco conhecido ameaça cometer ataques durante os Jogos.

Um vídeo datado de 1o de agosto traz imagens do logotipo dos Jogos de Pequim em chamas e de um orador mascarado e portando um rifle AK-47, segundo a empresa Site Intelligence Group.

O governo chinês declarou nesta semana que continua confiante na segurança do evento.

Fonte: Yahoo