Posts com Tag ‘Dinheiro’

 

VOCÊ SABE QUE ALGUÉM É PAULISTA QUANDO…

Na fala:

a) chama o semáforo de ‘farol’;
b) diz ‘bolacha’ em vez de biscoito;
c) diz ‘cara’ em vez de menino;
d) diz ‘mina’ em vez de menina;
e) diz ‘bexiga’ em vez de balão;
f) diz ‘sorvete’, tanto para picolé como para sorvete de massa;
g) acha que não tem sotaque nenhum;
h) ri do sotaque de todo mundo (gaúcho, carioca, mineiro, nordestino,etc…);
i) vê uma pessoa mal vestida e chama de ‘baiano’;
j) é extremamente possessivo, pois emprega a palavra ‘MEU’ em praticamente todas as frases.

No clima:

a) fala sobre o tempo para puxar assunto;
b) enfrenta sol, chuva, frio, calor, tudo no mesmo dia e acha legal…
c) sai todo agasalhado de manhã, tira quase tudo a tarde e põe tudo de volta à noite;
d) tem mania de levar o carro para polir no sábado ou no domingo. O carro fica brilhando, só que toda vez que vai sair com ele para passear… CHOVE.

Na praia:

a) fala que vai para praia sem especificar qual;
b) fica a temporada no Guarujá, Maresias ou Ubatuba, mesmo que chova mais do que faça sol;
c) chama Ubatuba de ‘Ubachuva’;
d) fala mal da Praia Grande, mas toda virada de ano fica sem dinheiro e acaba indo para lá.

Nas esquisitices:

a) faz fila para tudo (elevador, banheiro, ônibus, banco, mercado,casquinha do MC’DONALDS, etc.);
b) repara nas pessoas como se fossem de outro planeta;
c) cumprimenta os vizinhos apenas com ‘oi’ e ‘tchau’;
d) espera a semana inteira pelo final de semana e quando ele chega, acaba não fazendo ‘nada’;
e) convida: ‘Passa lá em casa’, mas nunca dá o endereço;
f) chama o povo do interior de São Paulo de ‘caipira’.

Principal:

a) ri de si mesmo ao perceber que tudo acima é verdade e encaminha para todos os amigos;
b) e como todo paulista, estou fazendo minha parte…  

Anúncios

O rapaz vai para os Estados Unidos para cursar a Universidade, mas já na metade do 1º semestre acaba o dinheiro que o pai lhe deu. Aí ele tem uma idéia brilhante.

Telefona ao pai e sai com esta:

– Pai, você não pode acreditar nas maravilhas da moderna educação neste país. Pois não é que eles aqui têm um curso para ensinar os cachorros a falar?

O pai, um sujeito simplório, fica maravilhado:

– E como é que faço para que aceitem o Rex aqui de casa?

– É só mandar ele para cá com U$ 5.000 que eu faço a matrícula.

E o pai, é claro, cai na conversa e segue a orientação do filho.

Passados mais alguns meses, o rapaz torra a grana e liga outra vez:

– E daí, meu filho? Como vai o Rex?

– Fala pelos cotovelos, pai. Mas agora abriram um outro curso aqui, para os cachorros aprenderem a ler.

– Não brinque! E podemos matricular o Rex?

– Claro! Me mande U$ 10.000 e deixe comigo!

E o velho, mais uma vez, manda o dinheiro.

O tempo vai passando, o final do ano vai chegando e o rapaz se dá conta que vai ter que se explicar. O cachorro, é claro, não fala uma palavra, não lê porra nenhuma, enfim, continua exatamente como sempre.

Sem nenhuma consideração, solta o pobre bicho na rua e pega o avião de volta para casa.

A primeira pergunta do pai não podia ser outra:

– Onde está o Rex? Comprei uma revista sobre animais, em inglês, para que ele leia para mim.

– Pai, você não imagina. Já tinha tudo pronto para a viagem de volta, quando ví o Rex no sofá, lendo o New York Times, como fazia todas as manhãs. E aí ele me saiu com esta:

‘Então, vamos para casa… Como será que está o velho? Será que continua comendo aquela viúva que mora na casa da frente?’

E o pai, mais do que rapidamente:

– Mas que cachorro lazarento… Espero que você tenha metido uma bala nesse filho da puta, antes que venha falar com tua mãe!

– Mas é claro, pai. Foi o que fiz!

– É assim que se procede, filho!…

Dizem que o rapaz se formou com louvor e tornou-se um político de renome…

rmax

1.Depois de 5 anos de formado, descobrir que não vai ganhar dinheiro como advogado e prestar concurso para Oficial de Justiça;

2.’Incorporar’ ao escritório uma imobiliária, despachante, serviço de Junta Comercial ou de cópias xerográficas;

3. Convencer a mulher a trabalhar como secretária (para não ter de pagar salário);

4. Ensinar à secretária a fazer as petições mais simples, para não ter de pagar estagiário;

5. Ir a casamentos, batizados ou festas de aniversário usando o anel de formatura e o broche da OAB ou do escritório preso na roupa;

6. Ir a qualquer evento social e distribuir o seu cartão para todo mundo (inclusive manobristas, garçons…);

7. Trazer garrafa térmica com água quente de casa e servir café solúvel aos clientes;

8. Aceitar fazer uma execução de 100 reais e tentar fazer um acordo;

9. Tentar a conversão de uma separação litigiosa em consensual para receber os honorários mais depressa;

10. Dizer ao estagiário: ‘O seu maior pagamento é o que você aprende aqui’;

11. Lembrar todos os dias ao estagiário que cursa quinto ano da faculdade que ‘gratidão é uma coisa muito importante’;

12. Perder prazo e colocar a culpa no estagiário;

13. Tentar convencer amigos e parentes que queiram prestar vestibular para Direito a não fazê-lo, alegando que o mercado já está muito saturado;

14. Economizar o dinheiro do almoço, passando vinte vezes na sala da OAB no Fórum para tomar café e comer bolacha de graça (a despeito da anuidade, mas esta também não é paga);

15. Quando se envolver em alguma discussão no trânsito, dizer: ‘Você sabe com QUEM está falando?’ – e mostrar a carteira da OAB;

16. Dar carteirada de OAB no guarda;

17. Ter dois ou mais adesivos de ‘Consulte sempre um Advogado’ nos vidros do carro;

18. Ir ao fórum, OAB ou Procuradoria para saber se ‘pintou’ alguma coisa;

19. Entulhar as prateleiras do escritório com um monte de livros que você nunca leu;

20. Ter aquela ‘balancinha’ de latão pintada de amarelo sobre a mesa do escritório;

21. Gravar na secretária eletrônica de casa: ‘Residência do DOUTOR FULANO DE TAL….;

22. Ir visitar a mãe e orientar a secretária para dizer que você está em um congresso;

23. Ficar sem emprego por mais de um ano e dizer que está estudando para concurso da Magistratura;

24. Ficar de olho nos fotógrafos em eventos, em uma foto que possa ser publicada no jornal (nem que seja atrás de alguém) e se for mesmo recortá-la e colar na parede do escritório;

25. Garantir ao cliente que a causa está ganha e, quando a coisa ficar preta substabelecer;

26. Comprar a ‘Agenda do Advogado’ e anotar os compromissos em guardanapos de papel;

27. Vender produtos da Avon ou HERBA LIFE no escritório (!!!);

28. Vender rifa no escritório;

29. Ofender-se com piadas de advogados; E, finalmente….

30. SER ADVOGADO, LER ESTE POST NO BLOG IMPOLUTOS E NÃO PASSAR O LINK ADIANTE !!!

rmax

Se ter um exemplar de alguma série especial da Ferrari significa estar no auge em termos de luxo, exclusividade e, claro, de dirigibilidade, o que dizer então quando apenas você e mais duas pessoas no mundo possuem o modelo em questão, e mais, podem ajudar a desenvolvê-lo? Seja qual for o termo para definir esta situação, ele deve estar em chinês. Apenas três dos 29 aficionados (e muito endinheirados) donos de uma FXX , dois deles de Hong Kong, concordaram (por assim dizer) em continuar participando do exclusivíssimo programa de desenvolvimento da FXX Evoluzione, lançado em outubro do ano passado (com direito a palpites do alemão Michael Schumacher).

A FXX Evoluzione pode ser resumida como um endiabrado pacote aerodinâmico duramente revisto, por mais de 35 mill quilômetros de testes, aliado à uma eletrônica de altíssimo nível que, ao ser aplicado sobre a Ferrari FXX, que ficou conhecida como super-Enzo, leva o bólido a marcas endiabradas — 860 cv de potência a 9.500 giros em um motor de 6.3 litros V12, trocas de marchas em 60 milissegundos e tempos, na pista de Fiorano, até dois segundos mais rápidos (a FXX Evoluzione completou a volta em 1min16, contra 1min18 da FXX).

Fonte: UOL